21.8.06

desperdício

fruta fruta
cora madura de um pecado recente
cor da culpa de conversar ausente
contigo

ouvidos sensíveis às ondas de tua boca
mente contrapartida nas ondas da permanência
limbo, esquecimento de ti

talvez viajara sôfrego e cansado por sentir falta

se não te dei atenção
me desculpa os olhos distantes meus

te vi com perfil isolado
sol ao lado que te sombreava
imagem escura de teu rosto iluminado
pelo outro lado que não via

eu quis te ter o interno
mas mantiveras as bobagens epidérmicas de tua eloqüência
quis que te calastes

o fiz com este beijo

4 comentários:

Anónimo disse...

"Pelo amor de Deus, não vê que isso é pecado?"...Lindo, simplesmente lindo!

Carmezim disse...

Lindíssimo mesmo.
Nada mais a acrescentar.

Doug disse...

estiveram aqui, comigo
minhas meias verdades
(sempre meias)
mas eternas verdades

são elas que incomodam
apontam para um caminho doloroso

que sua estadia tenha sido verdadeira
aqui, dentro
dentro, aqui


saudades de ótimos momentos de ócio
a seu lado


---------------------------------

e o hino a ecoar...
- china in box and serafins...


Abraços apertados.

marlon marcos disse...

Cheguei aqui agora pra dizer:o alinho de suas palavras desarruma a minha recepção.Mas, não sabota a emoção que me postula a entremeios de algo e que seu jeito, eu nunca saberia dizer...A palavra poética ferve em mim, me eleva a lugares longe desse mundinho tão inusitadamente feio, e me põe dentro de um cotidiano comum, repetitivo,a voz de BetHânia cantando suas paixões, clichês que insistem em dizer e fazer aquilo que os tratados científicos e políticos e econômicos e até culturais, não conseguem erguer...É um desabafo borrando a beleza da sua escritura.Mas é um borrão amoroso, agradecido por saber que há outros, desse jeito, espraiando palavras que são maiores que o consolo...Palavras ue são combustível para nossa fome de uma vida menos tacanha e regular...Uma vida faminta de criação, realização,aventura,coragem, DESEJO e gozo.
"EU gosto dos que têm fome".Obrigado pela sua,viu?