20.1.08

textura

na veste, a palavra corrida é texto
um emaranhado de fios na tecelagem
um corpo meu que se despe de sílaba em sílaba

toda palavra minha é um pouco de tecido
é um pouco de pele
um pouco de ideia
e textura

vezes que sou continente,
sou razão

vezes que sou conteúdo,
sou instinto

cada letra de mim
se perde em minha nudez
que devora

um
a
um

os olhos de quem me lê

5 comentários:

Marleide Rocha disse...

Você é todo intensidade.

Lilian Juliana disse...

Oi, Rominho!

Um respiro na minha correria aqui... Alívio em saber que você anda inspirado!

Um beijo e um cheiro!

Anónimo disse...

MUTILADO

Insolúvel. Solidão.
Perene condição.
Aquilo que há de mais humano
é um caroço que obstrui...
demasiadamente humano.
Com meus desejos, destruí
aquilo que me fazia insano.
Destruí-me. Para servir-
lhe de objeto de amor.
Arranquei-me de meu peito
e entreguei-lhe em carne viva...
com sangue quente, de vermelho
pulsante e mutilado. Partido.

(emprestarei do seu espaço para portar minhas palavras)

Samantha Feehily disse...

.. e desde a primeira vez que te vi, tive certeza de que GENIAL seria uma das suas MUITAS qualidades !!

.. sorte!! sorte na vida !! sorte em tudo !!

Bjooka

Ziza disse...

PELE
Texto para os dedos,
a tessitura do livro
que carrego sobre os ombros