13.6.08

um cheiro de sonho

na bancada do trabalho,
meus sonhos expostos
sem pudor

um saquinho pardo
engordurado e cheio de açúcar
guarda o que nem realizei
ainda

o perfume dos sonhos,
aquele cheiro
que nem era poesia,
mas uma-frase-solta
presa ao desespero de querer
ser verso e poema

dos meus sonhos
sem poder o deleite,
deleite ter de boca e nariz
a saúde do gosto
que vem da padaria


------------
* para Ziza.

2 comentários:

Ziza disse...

quem diria... o cheiro de sonho é poético sim!

tem bancada da rb no meu fanchona.blogspot.com

...
sempre à procura
da poesia que desprende
do invólucro cotidiano

Aline disse...

os sonhos me fazem bem!
adoro o cheiro e o gosto! =D

bj
Aline (da 'Turma da Mônica! hehe